30/06/12

Tem que valorizar

antes que
meu filho
chame de pai
a televisão

abro muito
bem abertos
meus olhos
de abraça-lo
um instante

tempo é alma
Wilson

é isso
que estamos
vendendo
ao demônio

26/11/11

Devaneio



Wilson Guanais

foto digital
combinação de filtros

07/10/11

Imagem



Wilson Guanais

foto digital
combinação de filtros

Imagem



Wilson Guanais

foto digital
combinação de filtros

17/09/11

Lavoura feliz

quase dentro da televisão
assim plantados
em confortáveis poltronas
ou não

todo vegetal sem distinção
recebe pelos anzóis
a mesma dose de adubo
nos olhos

.

Pesadelo

eu vi
uma janela
acesa
iluminando
o ambiente

vi homens
vi mulheres
brigando
pelo
controle

também vi
crianças
se jogavam
de cima
das pernas

e no final
todos rindo
ou chorando
como idiotas
que eram

.

14/09/11

Dessas de aniversário

não pode varrer
suas fraldas sujas
pra debaixo
do tapete não neném

é como se fosse
uma goiaba madura
nosso planetinha
dentro de uma bexiga

uma goiaba madura
com bichos
muitos bichos e nós

dentro de uma bexiga
com um furo
na camada de ozónio


.

21/06/11

Instante

vasto
vastíssimo o silêncio
é pedra de afiar poemas

: meus olhos
de abraçar o impossível
com os braços.




este blog (des)continua aqui: Velho sentimento novo



.

12/06/11

Simbiose



Os autores:

Edinara Leão
Cynthia Lopes
Eunice Arruda
Rogério Pimentel
CecíLia Cassal
Pedro Du Bois
Euza Noronha
Cairo Trindade
Dora Vilela
Wilson Gorj
Tonho França
Wilson Guanais

.

29/05/11

Felicidade

meus
braços
abertos

como
um
sorriso

.

14/05/11

Epitáfio

os olhos
não
sangram
mais

(nem
menos)

a
paisagem

cicatrizou

.

08/05/11

Composição



wilson guanais
& Léia


.

Devaneio



Wilson Guanais

foto digital
combinação de filtros

veja mais aqui: Foto digital


.

de areia

você sou eu
eu sou você
somos
assim

: nosso
castelo
reconstruído

pele
sobre pele

.

02/05/11

Aprendizado

o teto
do sonho
feriu
meus joelhos

: não sabiam
onde
doer

.

24/04/11

Determinação

acolhido
ou não
pela
espécie

eu
existo
e sou

no mínimo
todos

.

16/04/11

vertiGens

cai
em meu abismo
com as estrelas
todas
acesas na pele

densa
de Mistérios tantos
cai

como um céu
no cio

.

Sem título



Wilson Guanais

foto digital
combinação de filtros

veja mais aqui: Foto digital


.

14/04/11

Paliativo

depois
da queda
um
corpo
engessa

a
memória
do
anjo

fraturada


***

POETANDO JUNTO:

Loba


nem sempre
a memória
da queda
engessa
o paladar

papos de anjo
ainda
enfeita
a dor
das fraturas

do coração


.

31/01/11

do Mistério

a noite
é um gato aceso
no escuro

no escuro
todos os gatos são
o que são


.

10/01/11

11 Anos

- papai
- papai
correu gritando lá do quarto

- sonhei
que quando eu era adulto eu era grande

depois de um longo silêncio
enquanto eles se olhavam profundamente...
(de um jeito que só
pais e filhos conseguem)
concluiu:

- grande mesmo
maior que meu outro pai


.

Este

ante sala talvez
de alguma impossível
tempestade :

cemitério de navios
em copo d'água


.

03/01/11

Balanço

Você
eu
as crianças

o gato
o cachorro

seis
corações
pulsando

na
velocidade
do sonho


.

30/12/10

Avenida

a gente
faz Amor
bem
alto

e
ninguém
acorda:

a noite
é surda

.

27/12/10

Dezembro

uma criança
queimada de sol
e sua pipa
colorida
de mistério:

a ponte
que separa
os dois mundos
é tão frágil -
mas afiada

com finos cacos
de vida


.

23/12/10

irremediável

tem sempre
um poema que dói
mais que os outros

: rói minhas unhas
( até a alma )
engole os anéis


.

Imanência

todo
cachorro
morto
que
aparece

não
desaparece

eu
enterro
no
quintal

do
vizinho


.

18/12/10

Revelação

seu nome
Poeta
ainda que
o celebrem

será sempre
essa pedra tosca

: depois
ninguém
te ensina
ordenhar

.

17/12/10

Sem resposta

não escrevo
muito
não escrevo
pouco
só escrevo
quando

a realidade
acorda
pra sonhar
e me deixa
assim
sem saber

o que é
muito
o que é
pouco
o que é
quando


.

11/12/10

vazios

sobre a mesa
dois silêncios

se completam
incomunicáveis

: o vaso
e sua sombra

.

27/11/10

22/11/10

Basta

meia
volta
em torno
de nada

tropeço
em
algo

derrubo
tudo


.

21/11/10

Bosta

tropeço
no claro
tropeço
no escuro

os olhos
são
meus

dois
obstáculos


.

13/11/10

DrummondiAna

minha pele
nossas peles
formam um só
desabrigo

.

04/11/10

Em compensação

Sou
para o bem
ou para o mal
dono
do meu próprio
nariz

e agora
eu sei
o irremediável
cheiro
dessa merda
toda.




.

03/11/10

Cumplicidade

no topo
da montanha
o alpinista

é o topo
da montanha

.

Poemeto

grama umida
uma formiga
quase nada.

.

29/10/10

corAção



Técnica mista:
Lucio Guanais & Wilson Guanais

.

27/10/10

Casa



Técnica mista:
Lucio Guanais & Wilson Guanais

veja mais aqui: Meus Primeiros Traços


.

09/09/10

Experiência



Foto digital: Wilson Guanais

veja mais aqui: Foto digital


.

25/08/10

Aventura

uma fagulha
acendeu
a cauda
do aquário

alguns peixes
saltaram
do escuro
para o escuro

.

15/08/10

Oferenda

este coração torto
enraizado até o caroço
no magma do instante
é a única asa que tenho


.

14/08/10

cena

em pleno
voo
um pássaro
é alvejado

sua queda
destempera
o aço
do abismo

.

13/08/10

exercício

os olhos
da casa são

(também)

a
assombração


.

02/08/10

Comunhão

aperte Amor
minha Alma
na sua Alma

a Eternidade
é toda feita
de Abraços

- só por isso
dizem que
o Tempo para

e é verdade
quando parar
a gente desce

.

07/06/10

Breve

quando o silêncio das horas tardias
sussurrar baixinho ao meu coração

( ainda que por sobre os canteiros
nos arredores nem sequer uma
única pétala trêmula se movimente )

vou pensar que é a brisa
que vem do passado trazendo o som
afagante da voz doce que algum dia
me disse: - te amo... te quero...

.

12/05/10

Modalidade

eu também
não sei
voar


estou
sacudindo
as
Asas

: porque
Elas
existem.


.

02/02/10

Vasto

vamos ficar
assim
um instante
agarradinhos
acolhidos
um no outro

enquanto
o tempo
nos devora

nosso Amor
alimenta Deus

.

respeitável público

na pressa
ninguém para
no farol

pra ver
o malabarista

: foi
atropelado

.

25/01/10

Observação

O fogo dos mísseis
único brilho
nos olhos fechados
de deus

.

24/01/10

Definição

Amar é:
querer toda noite
depois do banho

enxugar meu corpo
no perfume
da sua toalha

.

Terra

tanta estrela
tanto sol
tanta lua
tanto planeta
tanto tanto

tudo poeira
no telhado
da nossa casa
incrustada
no escuro

.

Musa

Aqui do alto
do seu abraço Ana
posso ver o silêncio do mundo
atravessando os Poemas
como se eles não existissem

: e isso dói muito ainda
mas já não mata nem fortalece

.

21/01/10

De circunstância

Foi quando cai na real
percebi que não sentia as pernas
(as suas)

naquela que seria nossa viagem
sem fim

- só as minhas
a esmo desinventando os caminhos
: já não sabiam mais voar

.

17/01/10

breve

o vento
passa
a flor balança
acolhida
em suas cores

o vento
para
a flor continua
:fixa
no movimento
.

04/01/10

Sem Título



Wilson Guanais

Exercício com guaxe sobre papel
.

27/12/09

Da próxima primavera



25/12/2009
Wilson Guanais

pra Ana


Exercício com guaxe sobre papel


###


Descrição:

Pintura a dedo
flôr-escultura
talhada no aço
do instante

.

pra Ana

da Primavera
que virá
colho
Flôres reais
(per)feitas
num

Tempo onde
tudo (pode
acontecer)
está
acontecendo
Agora...

20/12/09

Sem Título



Wilson Guanais

Exercício com guaxe sobre papel
.

10/12/09

Sem Título



wilson guanais

Exercício com guaxe sobre papel
.

09/12/09

Sem Título



wilson guanais

Exercício com guaxe sobre papel
.

Sem Título



wilson guanais

Exercício com guaxe sobre papel
.

12/10/09

O livro da Loba



Sobre o livro aqui: Sentidos Gozosos

Veja mais aqui: Café...

.
..

28/09/09

Entendimento

súbito
caracol
do
avesso

me
arrasto
em
círculos

lenta/
Mente

só sei
o peso
do
desabrigo

.

24/08/09

Luna



uma fofurinha
e não é de pelúcia
é de estimação

somos (de)feitos
do mesmo material.

.

21/08/09

soninho

o dia
e a noite
: dois
universos

tão
distantes

acolhidos
um
no outro

19/07/09

escultura

toda feita
em ferro
a alma

(que
não tenho/
porisso)

voa
mergulhada
no sal

do Tempo.

-----------------------------

Poetando junto:

o sal do tempo
molda
as lembranças

a alma
veste alegoria
e brinca
de esconde-esconde
com as surpresas
do porvir


Euza

.

30/06/09

Inércia

o Tempo
recolhe-se
palpável

sob o peso
da própria
sombra.

29/06/09

Carinho

parei
ao seu lado
e meus pés
criaram
raízes

: é por isso
Amor
que agora
eu
vôo.

03/06/09

Lançamento em São Paulo no Bardo Batata




Wilson Guanais, Wilson Gorj, Caio Cezar Mayer, Aline Gallina, Mônica de Aquino, Cynthia Lopes, Paulo Aquarone, Priscila Lopes, Estrela Ruiz Leminski

Veja mais aqui:
XXI Poetas de hoje em dia(nte)

.
..

19/04/09

XXI Poetas de Hoje em Dia(nte)



XXI POETAS DE HOJE EM DIA(NTE), coletânea nacional organizada por Priscila Lopes e Aline Gallina com apoio da Secretaria de Estado de Turismo, Cultura e Esporte de Santa Catarina, editora Letras Contemporâneas.

Aline Gallina
Caio Lopes
Érica Zíngano
Estrela Ruiz Leminski
Karinna Gullias
Izabela Leal
Julia Almeida
Júlia Studart
João de Moraes Filho
Marcelo Montenegro
Marcelo Sahea
Mônica de Aquino
Paulo Aquarone
Priscila Lopes
Ronaldo Werneck
Rubens da Cunha
Victor da Rosa
Victor Paes
Wilson Gorj
Wilson Guanais

Introdução: Jayro Schmidt
Prefácio: Eduardo Jorge

Lançamento em Florianópolis
Barca dos Livros
18 de abril às 20h
Rua Senador Ivo d'Aquino, 103
Lagoa da Conceição
Fone: (48) 3879-3208

Lançamento em São Paulo
Bar do Batata
23 de maio às 19h30
Endereço:
Rua Bela Cintra, 1333, Jardins
Fone: (11) 3068-9852

02/04/09

Breve

sou tempo
esse Vento
(frio)

que passa
por mim

e se toca.

31/01/09

Celeiro

sempre que posso estou aqui:

Celeiro



publique seus poemas

24/01/09

aprendizado

todo
torto

de tanto
cair

levantou

22/01/09

Instante

meus olhos sozinhos
acesos no escuro
(mergulhados em mim)
não tem mais cor

nem rosto.

24/12/08

instante

vôo sempre alto demais
dentro
de uma noite

(tão clara) que os olhos
não decifram.

19/12/08

Irremediável

estou
em
plena
in/
atividade

e
meu
Silêncio
dói
tanto

como se
fosse
( mas não
é
ainda )

um
Ferimento

10/12/08

(a)Temporal

nuvens
de flores
brisa
de perfumes

chuva
de pétalas
em noites
de sol

16/10/08

anti-vôo

o código
da Vida
nas garras do poema

: é peso morto

25/09/08

sou

metade medo
metade monstro

o resto é massa
de modelar.

14/09/08

Sequência

tão fria
e escura
a noite
parece
real

: um
Poema
ignora
o poeta
e segue
mudo.

du "baralho"

o resultado
entregue
as cartas todas
marcadas

vencedores
vencidos
são dois nomes
do mesmo

: o Jogo é maior
que o prêmio.

Instante

um
rio infinito

deságua
na
imensidão

do
poema.

03/09/08

Fluxo

minha
saudade
é um
rio
infinito

: deságua
na
imensidão

do
poema.

01/09/08

Simples assim...

quando
Você me olha
eu sinto
que Você
me enxerga

quando
Você me abraça
eu sinto
que Você
me Abraça

quando
Você me beija
eu sinto
que Você
me Beija

quando
Você me deixa
eu sinto
que Você
permanece...

26/07/08

Coletânea



Estou participando com 20 poeminhos
leia mais aqui: Celeiro
.

23/07/08

Poema

foi
você
quem
disse

tudo
que
sei

de
mim.

21/07/08

Sono

um
túnel
atra/
vessa

o
Tempo
quando

não
desaba

20/07/08

Loucura

Quando te vi
pela primeira vez
- meus olhos
começaram a existir

: arranquei-os
pra enxergar melhor.

19/07/08

Poluição

todo dia
é um
espetáculo

que o Sol
assiste
escondido.

10/07/08

Boas Vindas

sou
este desabrigo
( um
não-lugar
ao sol )

- minha
solidão
não tem paredes

: entre
a casca é sua.

¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

Hoje tem texto meu aqui:
O Fogo Anda Comigo.
.

e aqui:
Apolo (Academia).
.

08/07/08

as batidas
do coração
drenando

um mar
de silêncio

07/07/08

A capa:



Tela: D'noronha
Galeria Virtual : AQUI

Leia os textos aqui:
"O AÇO, O NINHO & OUTRAS FRÁGILIDADES.

wilson guanais ( CBJE - 2008 )
.

04/07/08

Trama

quando a gente se abismar
( Corpo beirando Corpo )
todas as linhas do mapa
vão tecer nosso Destino
então vamos nos perder

costurados Um no Outro

e na paisagem
onde Tudo será
o mesmo emaranhado de Nós.

¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

POETANDO JUNTO:

Tez.

quando a gente se tocar
(pele tatuando pele)
todas os poros do corpo
vão denunciar nosso Desejo
então vamos nos entregar

-Um ao Outro-

ao prazer silente
que grita promíscuo
dentro de nós.

Ana Poeta
.

02/07/08

Saída de emergência

sem carinho
nem amor
falta luz
falta calor

transformo
em cobertor
meu tapete
voador.

¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

Hoje tem texto meu aqui: Poetas Lusófonos.
.

01/07/08

Limitação II

não sei
onde
dorme
a palavra
Paz

nem como
acordá-la
da
guerra.

30/06/08

entendimento

sei
o peso
da
pulga
que

não
trago
atras
da
orelha

¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

Hoje tem texto meu aqui:
O Fogo Anda Comigo.
.