10/07/2008

Boas Vindas

sou
este desabrigo
( um
não-lugar
ao sol )

- minha
solidão
não tem paredes

: entre
a casca é sua.

¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨¨

Hoje tem texto meu aqui:
O Fogo Anda Comigo.
.

e aqui:
Apolo (Academia).
.

9 comentários:

Poesia! disse...

Prezado Wilson,
sua bela pessoa em versos esta em chamas!


forte abraço!

Alex Pinheiro disse...

"a casca é sua" lembrou-me
"dentro de ostra
palavra"

Lembrou-me pela genialidade,,, está aí para as elevações literárias de Guanais,,, Belo!

Shi disse...

Ah, sim? E a polpa, é de quem? rs :-P
Bjo, querido!

L. Rafael Nolli disse...

Olá, meu camarada! Muito bacana o poema. A vastidão da solidão sem paredes, a metafísica de um corpo que pode ser invadido, habitado... Aproveitarei e darei um pulo no blog O Fogo Anda Comigo - achei o nome muito interesante... abraços!

loba disse...

Voltei! Mas pra buscar o que está dentro da casca, tá? rs...
Vc tem umas sacadas geniais, poetinha!
Beijo e saudades!!!

Cöllyßry disse...

Que uma brisa suave envolva o Ser...

Beijito

Vieira Calado disse...

Olá, Wilson!
Como vai isso?
Vejo que você continua em grande,
na produção.
Acontece que, ultimamente só tenho escrito poemas muitos pequenos.
Como os que aqui leio.
Não há limites para a poesia.
Um forte abraço

do V. C.

Dora disse...

Wilson! Saudades! Por que não foi a Paraty? Tudo a ver com você!!!
Boas Vindas tá um arraso. "sou este desabrigo", prá mim, já seria um poema completo...Sua solidão é solidária e convidativa. Por isso, venho aqui.
E lhe deixo beijos muitos.
Dora

Tânia disse...

Obrigada por profunda Boas Vindas...

Um poetico retrato que apesar de somene tentar mostrar o supercial, dá para sentir a sensibilidade além da "casca".

Muito prazer; eu me chamo Tânia, cheguei através do convite da Dora, Shi e Loba...

Aprendi o caminho...

bjo